Entrar

"ELE FOI UM PAIZÃO, PARCEIRO DE TUDO E AMIGO DE TODOS..."

Destaque "ELE FOI UM PAIZÃO, PARCEIRO DE TUDO E AMIGO DE TODOS..."

O automobilismo gaúcho perdeu uma de suas lendas modernas. Faleceu no sábado, 6, aos 66 anos, João Carlos de Andrade, conhecido como Carlinhos, um dos principais nomes da história do automobilismo gaúcho. O ex-piloto, vencedor de diversas corridas tanto dentro das pistas quanto fora — após criar a equipe MC Tubarão, com a classe de protótipos que passou a dominar as 12 Horas de Tarumã —, sofreu um infarto no final da manhã de sábado, em Campo Bom, e não resistiu. O prefeito Luciano Orsi decretou luto oficial de três dias.

Carlinhos começou pilotando um Ford Corcel, em 1979 e já somando duas vitórias. Nunca deixou a briga dos ponteiros ao migrar para os Chevettes, marcando época com os “tubarões”. Desta época, o jornalista Erno Drehmer lembra do seu começo no automobilismo com a parceria de Carlinhos. “Eu lembro que em 1986 meu amigo Victor Steyer foi correr de Chevette com o Carlinhos. O famoso número 5”, conta. “Ganhei um troféu de melhor cronometrista do ano. Não existia o prêmio, claro, mas eles criaram e me deram. Um carinho com meu trabalho”, relembra.

Visionário, passou para os Opalas nos anos 90 e venceu as 12 Horas de Guaporé, além de se sagrar campeão do Gaúcho de Opalas em 1993. Mas ele queria mais, queria ser um projetista de carros de corrida e aplicar a vasta bagagem que tinha acumulado até ali. Eis que surgiu o primeiro protótipo Tubarão, em 1996. O carro, com um jeito que lembrava o Panoz britânico, faturou os 500 Quilômetros de Tarumã.
Os projetos foram evoluindo e um carro Tubarão venceu títulos em quatro oportunidades dos cinco anos seguintes, até 2002. O time não deixaria de faturar taças em todos os anos seguintes. Migraram para os protótipos MRX, mas permaneceu a barbatana sobre o santantônio* e a inventividade para encontrar soluções e velocidade. “Ele era um visionário, pioneiro dentro e fora das pistas. No início deste mês vi ele correr pela última vez, estava na ativa, muito na ativa. Ainda dava aula para os guris”, comenta o amigo de duas décadas e Diretor da Federação Gaúcha de Automobilismo, André de Davi.

A parceria com os filhos, Tiel, Né e Denti, reforçou a evolução esportiva. Focado nos bastidores, ensinando e passando adiante seu conhecimento, Carlinhos não deixou as pistas de lado. Ainda participou de inúmeras corridas e vitórias em carros de GT, no Gaúcho de Endurance e na Super Turismo. Agora, o legado garantirá muitas vitórias que ainda estão por vir para o MC Tubarão. “Meu pai não era exemplo apenas no esporte. Ele foi um paizão, parceiro em tudo, amigo de todos e com um coração enorme. O legado que nos deixou foi a nossa família, foi esse sentimento que nos fazia sempre estarmos juntos”, acrescenta Tiel Andrade.

* Uma barra que os conversíveis e demais carros de teto aberto possuem atrás dos passageiros, para evitar que, em caso de capotagem, os ocupantes sejam esmagados pelo peso do carro. 

ELES DISSERAM

Paulo Tigre (MDB), Presidente da Câmara de Vereadores. “Perde a família, perde a cidade, perde o automobilismo gaúcho. Um pioneiro e um homem que não mediu esforços pelas suas paixões: sua família e os carros. Viveu uma vida plena e infelizmente mais breve que merecia”

Giovani Feltes (MDB), Deputado Federal. “Quando alguém com determinação, profissionalismo, competência e ética é chamado por Deus, traz dor e consternação na cidade. Meus sentimentos à família Andrade. Lembranças boas que ficam, amigo Carlinhos”.

Luciano Orsi (PDT), Prefeito de Campo Bom. “Carlinhos deixa para Campo Bom o legado de seus vários títulos, conquistados em diferentes categorias do automobilismo gaúcho e brasileiro. Que o seu exemplo de perseverança e de trabalho em equipe e em família, tanto dentro como fora das pistas, fique de referência para todos nós”. 

 

JÁ FOI NOTÍCIA

05 de novembro de 1986 | Edição nº 12 - Carlinhos começou a ser notícia no AG já na edição de nº 12, anunciando a sua participação no Campeonato Regional de Turismo, à bordo de Chevette nº 5, após ter sido campeão em Tarumã ao lado de seu companheiro Victor Steyer.

26 de novembro de 1986 | Edição nº 15 - Carlinhos e Steyer, sua dupla, sagraram-se vice-campeões no Campeonato Regional de Turismo.

10 de dezembro de 1986 | Edição nº 17 - Carlinhos e Steyer anunciaram a participação da dupla nas Doze Horas de Tarumã, onde Carlinhos realizava a sua terceira participação no campeonato.

Última modificação emSexta, 12 Abril 2019 15:12
Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.