Entrar

Um conto especial

Este não é um conto de Natal como todos gostariam de ler nesta época do ano. Esta é uma narrativa de um pai que veio conversar comigo, para contar a realidade que ele e sua família vivem com o seu filho que é portador de necessidades especiais e que sofre muito quando ouve o estocar de foguetes. Leiam a seguir a narrativa e o desabafo de um pai, que sequer sei o seu nome:


“Quando meu filho ouve os estouros dos foguetes ele se agita de uma maneira quase incontrolável. Se na televisão aparece um jogo de futebol ele logo faz a relação e imediatamente é tomado de pavor e desespero e a única saída que tenho encontrado para amenizar um pouco esta situação é colocá-lo no carro e sair a passear com ele, pois parece que é o único local que ele se sente seguro. Por isto Mauri, quero te parabenizar pela iniciativa de sugerir a proibição de soltar foguetes e estenda também o meu agradecimento ao vereador Paulo Tigre”.


É preciso reconhecer que o vereador Paulo Tigre, inteligentemente, tão logo leu a sugestão deste colunista, protocolou um requerimento endereçado ao prefeito sugerindo que este assunto se transforme em lei municipal, assim como já existe em muitos municípios gaúchos e também brasileiros.

A narrativa deste pai é de tocar até mesmo os mais insensíveis, aqueles que se utilizam das redes sociais para debochar e ridicularizar de uma situação como esta, insinuando que com isto todos os problemas da cidade estarão resolvidos. Mas é claro que não estarão resolvidos todos os problemas da cidade, mas que os nossos idosos, as nossas crianças, as crianças e os adultos com necessidades especiais e os nossos cães, gatos, pássaros e tantos outros animais estarão vivendo melhor, disto não tenho a menor dúvida.

Se “tão somente” estes argumentos ainda não forem suficientes, posso também dizer, ou melhor, afirmar, que a soltura de fogos e artifícios, comprovadamente, prejudica e impacta o meio ambiente, que é uma arma letal, que provoca incontáveis acidentes domésticos com resultados irreversíveis, que causam inúmeros incêndios entre tantos outros malefícios.

Que neste Natal e Ano Novo possamos deixar aflorar ainda mais o nosso sentimento de bondade revertendo o dinheiro dos foguetes em doações de brinquedos e alimentos aos que tanto necessitam, pois tenho certeza que nenhuma outra alegria poderá ser maior que o sorriso de uma criança, o agradecimento e o abraço de um idoso ou a manifestação de alegria de um ser especial. Feliz Natal, Feliz Ano Novo. Sem foguetes!

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.